Uma borboleta esvoaçou
frágil corpo a pairar
tentando sulcar o ar
e no beiral ela pousou.

Pousou, e p'ra mim olhou
com seus olhitos pequeninos
um corpinho tão franzino
que em meu beiral descançou.

Falou-me da sua vida
e em seu prazer de voar
de todas as flores beijar
e de todas desejada.

As suas azinha bateu
e docemente a elevei
para ela a olhar fiquei
para longe ela voou.

MC

 

publicado por mcarvas às 21:08