Quero contar à lua
relatos de um encanto
sob socinto manto
de verdade, nua e crua.

A leveza d'um espírito
em frondosa harmonia
alberga em seu séquito
estonteamente euforia.

Sempre em crescendo maior
vai germinando um solfejo
singelo e terno desejo
em cumplicidade menor.

Gestação permente
encejo de novo alento
cai o pano, muda o tempo
verdade desse momento.

Em branco se acomodou
de pureza se vestiu
nada mais lhe resistiu
tudo que queira... lhe dou.


MC

 

publicado por mcarvas às 17:57