Manjar

23.11.08


Perfeitamente alinhados
os vinhêdos prezenteiam
as paisagens que deslisam
por entre montes escondidos.

O outrora verde garrido
expôe um tosco escurecido
que até no tempo ficou perdido
o rebentar do gramido.

Os aromas que enchem o ar
adoçicando a vontade
sentam-se à mesa na herdade
salpicando o paladar.

Rebusca na eira o pardal
os grãos que sobejaram
seja de trigo ou centeio

com manjar se presenteia
são sobras do casario
sortes p'ra este natal!...

MC

 

publicado por mcarvas às 17:15

Graças

23.11.08


Toca o sino a repique
Há fogo, há fogo na eira...
Corre o povo na ladeira
antes que sem nada fique.

Ouve-se a ti rosa lina
berrar enchendo o canêco
mandando sentar o neto!
De todos a mais ladina.

Carrega o zé o tractor
a resmungar com a mulher
que reze quando poder
ao seu santo protector.

O fogo não quer cá rezas
ouve-se dizer ao fedelho;
Não metas cá o bedelho
que a avó não esta p'ra prozas!...

Foge dali muito corado
a vêr se a zanga passa
que a avó não achou graça
e o chinelo é pesado!...

MC

 

publicado por mcarvas às 17:14

mais sobre mim

pesquisar

 

Novembro 2008

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
14
15
16
19
20
21
22
24
25
26
27
30

comentários recentes

  • Gostei muito desta poesiaLindo,e triste o pobrezi...
  • Lindo, lindo o que aqui li, lembrou-me infância, s...
  • Gostei destas quadras, claro que gostei muito daqu...
  • Adorei.Só hoje dei com o seu espaço, mas vou volta...
  • Olá! Apesar de comentar muito espaçadamente estes ...
  • tenho olhos azuis e sou loiro, a minha namorada te...
  • É bom ter de volta estes preciosos poemas. Fico co...
  • E nas feiras compram votos com canetas e autocolan...
  • Tenho de me penitenciar por ter estado uma semana ...
  • Uma mão cheia de bonitos poemas. Este último, entã...

mais comentados

links

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro