Dobro-me sobre migalhas
num qualquer lugar infecundo
espargem olhares incómodos
sob a abóboda de centelhas.

Perdi-me num fausto lauto
de impérios da nobreza
que humilham de tristeza
a pobreza dos incautos.

Alegram-me os sons da noite
e das vozes que não ouço
fazendo ouvidos de mouco
aos pregões do mais afoito.

Nas manhãs frias, vazias
esse turpor não tem fim
apodera-se, germina em mim
emsombrando as maresias!...

MC

 

publicado por mcarvas às 01:08