Cantarolando lá ía
pelas pedras da calçada
na trança, uma fita encarnada
desfiando-se em magia.

Quedou-se ao pé da fonte
onde brotavam alecrins
num alvo lençol sem fim
passou bem junto a mim
juncando um ramo ao cagote!

Os risos da passarada
que enchiam o recanto
pregaram folhas em manto
para enxugar o pranto
de seus risos desvairados.

Tão bela aquela flôr
com sua fita encarnada
seu ar a tudo bafeja
era uma fita encantada
fazendo corar de inveja...
Redenção do criador.

MC

 

publicado por mcarvas às 01:18