Um fiosinho de chuva
que não chegou ao chão
acorda gentil paixão
ao vêr tão doce escultura

Que suave está o campo
de um linho tão macio
mesmo fazendo frio
a neve preenche o vazio.

Quam limpido está o dia
e, o pingente ali formado
com um ar imaculado
anda à solta a magia.

O frio que endurece os corpos
suaviza também a memória
enchendo o dia de glória
que desperta os sentidos.

Paira no ar uma leveza
que cobre todo o campo
de um branco tão sereno
explendeor da natureza.

MC

 

publicado por mcarvas às 23:29