Uma copiosa chuva caía
inundando o lugarejo!
D'ali até ao brejo
nem viv'alma que se via.

Numa quietude total
via a chuva que caía
pela encosta lá seguia
encharcando o choupanal.

As horas foram passando
e pela vidraça me quedei
a mão, pelo rosto passei
e vi que estava chorando.

Em silêncio e contido
lágrimas ia vertendo...
A tristeza me tomou.

Mais escuro o dia ficou
o fardo, ficou mais pesado!
A vida é vil castigo!...

MC

 

publicado por mcarvas às 16:06