Sentiu-se enquanto passava
uma aragem de mansinho
com a leveza do linho
que naquela aura levava!

Um odôr adocicado
enche todo o casebre
que nem uma porta se abre
sem salpicar de pecado.

Pecado, que mora ao lado
mesmo na porta contínua
onde nada medra à míngua
nem feições de desbocado!...

Eu sei, é termo impróprio
até mais que mundano
mas sem provocar dano
é um vai e vem em corropio!

Que nem lembre ao demónio
tecer críticas, a tal ser
pois mesmo sem o saber
é fausto seu património.

Dois montes se erguem no peito
qual deles o mais sublime!...
Não há termo que os desarme
é pr'os olhos, um deleite.

Com dois bicos tão hirtos
oh...paisagem deslumbrante
insana mente, navegante
farol de meus acertos.

Uma base tão macia
de leveza sem igual
que seguindo a rota do sul
se enxerga frondosa bacia.

Um jardinzinho plantado!
Que jardinzinho encantado
com toda a mata aparada
vê-se a hora chegada!...

Mas que lábios tão carnudos
sorrindo, estão entreabertos
de desejos, estão despertos...

Oh triângulo das bermudas
que despertas os sentidos
n'um vai e vem desmedido!...

MC

 

publicado por mcarvas às 22:39