São rosa senhora!
Estas rosas que te dou
são tudo daquilo que sou
e medram de hora a hora.

São rosas senhora!
Este encanto que me segue
tanto pulsa quan persegue
é sempre momento, agora!...

São rosas senhora!
que me tomam os sentidos
desencontros desmedidos
me seguem a toda a hora...

São rosas senhora!
inundam todo o ser
arrebatam o querer
de ter-te sempre, agora!

São rosas senhora!
Que soltas todas se somam
vergam vontades e enleiam
não ter folgo de ir embora.

São rosas senhora!
Que exultam o temor
tomam todo o querer
sob o jugo de Izidora.

São rosas senhora!
Que a vil Deusa das trevas
semeia em tantos acervos
ao não me deixar ir embora!...

MC

 

publicado por mcarvas às 00:41