A ti,ínfia Deusa da saudade
um hino, versarei em preçes
Por todos os dias que teces
galopa mui gran ansiedade!

Te rogo, não ouses partir
os vesículos da quimera
que sempre brote a primavera
com novos cachos a florir.

Rebentem os prados de vida
com seus botões a sorrir
não mais ouses fugir
levando na alma a partida!...

Te hie-de versar uma estrofe
p'ra paz d'alma concederes
não mais teres de esconder
no peito agruras que sofres.

Dessa estrofe farei
um palácio em teu nome
que o dom das ninfas te tome
pois mui alto o erguerei.

Nas nuvens, então plantarei
um jardinzinho encantado
p'ra n'ele te versar meu fado
e em quantas lutas pelegei!...

MC

 

publicado por mcarvas às 05:48