Corre salta em alvoroço
deixando a saia rodar
roda, roda sem parar
roda singela sem esforço...

Na fonte das sete bicas
moças pousam o canêco
rodopiam no tamanco
sobre a calçada com socas!

Claras, escuras ou floridas
mas todas com saias de rendas
pequena que esconde a fenda
tem grande ância na partida.

Em seus decotes, ai as prendas
que a pele alva faz luzir
de coradas vão fugir
são todas moças prendadas!...

A fonte tem seus pecados
e outros tantos que ali deixam
pois com a mão que semeiam
também n'ela lavam o fado.

Com o canêco à cabeça
ladina, sobe a calçada
passa a rua em revoada
desde a fonte até à praça.

Ao passar junto à capela
leva a mão ao peito e reza
faz ao senhor a promessa
que expõe em sua preçe!

Sorri quando ali passa
com um ar envergonhado
e ao sorrir expõe a graça
deixando no ar sua traça...

Moça de folhos rendados
que força tens em teu traço
com tua trança e um laço
com duas pontas douradas.

Dás à praça tanta graça
que já não tem dia que passe
por mais que a hora se atrase
que não anceie teu abraço.

MC

 

publicado por mcarvas às 17:51