Que tombe então fulminado
o serviçal da mentira
o permíscuo som da lira
por sua corda esganado!

Que sinta o sabor da derrota
ao vêr a porta trancada
por onde só passa a verdade
não mais su língua afiada.

Pintem os céus de vermelho
para honrar esse dia
que o plácido fulgor da lira
seja serrado n'um celho.

Joguem-no pois ao precipício
que seja tão vasto, de mais
para que não volta mais
a dar começo ao início!...

MC

 

publicado por mcarvas às 17:52