Não me julguem pelo que digo
nem por quem tudo perdeu
Julguem-me pelo que eu sou;
Perdoem o meu castigo!...

Nada mais tenho a perder
nem nada mais a querer
a não ser sonhar poder
poder voltar a te ver.

Contigo eu adormeço
E sonho, sonho contigo amor.
Esqueço-me desta dor
adormeço este castigo.

Ao acordar recomeço
neste martírio sem fim
que me consome, me devora
já não tem dia nem hora
já nem sequer penso em mim.

É uma agonia acordar
deixa-me dormir em mim
deixa-me não mais acordar
pois tú vives em mim.

E sempre te vou guardar
p'ra sempre te vou querer
p'ra sempre te vou amar.

Amor, Estou quase a chegar...

 

publicado por mcarvas às 17:49