Deus!
O Teu mar é tão imenso
e o meu barco, é tão pequeno.
Do cimo dos altos montes,
às profundesas mais agrestes
que Tú afagas com teu dedo,
a todos ele mete mêdo.
No seio dos oceanos
onde cultivas tantas espécies
tantos louvores te tecem
mesmo o mais vil dos amos.
Nos vales por Ti plantados
onde floresce a natureza
e abundância em cada mêsa,
há cânticos, e louvores aos anjos
por tão frondosa beleza.
Deus!
O Teu mar é tão imenso
e o meu barco é tão pequeno.

MC

 

publicado por mcarvas às 00:51