O sol suspirou

06.11.08

s
Dei-te um ramo de cravos
para honrar o teu vestido
e um sorriso desmedido
reflectiu-se em teus olhos.

Um rouxinol cantador
em teu ombro se pousou
que até o sol suspirou
ao vêr tamanho explendor!

Mirar-te é meu prazer
meu prazer principal
não tenho outro igual
nem outro eu quero têr.

MC

 

publicado por mcarvas às 15:13

Os velhos do terreiro

12.10.08


 Os velhos no terreiro
contam histórias do antigo
buscando nelas o abrigo
com doçes palavras de amigo.

Recordam vidas passadas
labutas, entre canseiras
sem nunca perderem a esteira
da fulgor de suas vidas.

E com brilho no olhar
lá contam suas venturas
conquistas, e desventuras
com uma força de pasmar.

Ao canto o Zé da adega
onde pisavam as uvas
não faltava a uma rusga
já só vê por uma nesga!...

Quase que serra o punho
e o cajado já vergava
ao falar do Zé da cunha
e das ovelhas no restolho!...

Zangas essas mal curadas
que nunca foram esquecidas
que por actos ou palavras
nem no tempo da vergada.

Mas é neste convívio
que se regem nobres gentes
com bons ou maus sentimentos

 
vivem o hoje como d'antes.
recordando esses momentos
que é p'ra todos um alívio.

MC

 

publicado por mcarvas às 21:16

mais sobre mim

pesquisar

 

Abril 2015

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

comentários recentes

  • Gostei muito desta poesiaLindo,e triste o pobrezi...
  • Lindo, lindo o que aqui li, lembrou-me infância, s...
  • Gostei destas quadras, claro que gostei muito daqu...
  • Adorei.Só hoje dei com o seu espaço, mas vou volta...
  • Olá! Apesar de comentar muito espaçadamente estes ...
  • tenho olhos azuis e sou loiro, a minha namorada te...
  • É bom ter de volta estes preciosos poemas. Fico co...
  • E nas feiras compram votos com canetas e autocolan...
  • Tenho de me penitenciar por ter estado uma semana ...
  • Uma mão cheia de bonitos poemas. Este último, entã...

links

blogs SAPO


Universidade de Aveiro