Certo dia um girasol
perto de um raio de luz,
sorriu de frente para o sol
desse geito em que ele sedûz!

Deu por si tão perto d' àgua,
deu de si tanta amizade
que de si perdeu a mágua
e se esqueceu da saudade.

Por ali fui passeando,
do tempo perdendo o passo...
Perdi-me e lá fui ficando
e a seu lado anseio e enlaço!

Ambos sentindo a corrente
que correndo quase abraça;
Quem nos visse de repente
riria de tanta graça.

E sentados junto ao rio
eu com ela e ela comigo
nem sabemos a côr do frio
pois sempre estou contigo!...

 

MC

 

publicado por mcarvas às 18:05