Licença

25.03.13

            I


O peido pediu ao cu

Licença, para sair

Mas sempre a descair

Fechou-se p'ra não partir

Que o peido, não passa do cu.

Foi tão forte a contracção

E o peido preso à porta

Que a moça em contrição

Fugindo já toda torta

Senta-se em contemplação

Para o cu abrir a porta.

O cu já muito dorido

Que o peido, tinha cozido

Larga tudo de repente

Com força de estrela cadente

E numa forte exclamação

Ribombou como um trovão.

O alívio, foi geral

E a moça sorrindo de novo

Virou-se para seu povo

Que nem cheirava tão mal.

O puto, caiu redondo

Ao levar com o alarido

E a moça descontraída

Disse ser culpa do conde.

Com as bordas do cu a arder

E o nariz a doer

Saltou o muro a fugir

Para nunca mais se ver.

 

MC

 

 

publicado por mcarvas às 12:12

Mandamentos I Parte

18.01.08

O que fazer neste País em caso de:

Se pensa em adoecer,atempadamente é aconcelhável meter requerimento para hospital mais próximo, a vêr se no prazo indicado para ficar doennte ele, (hospital) ainda está em serviço. -

 

Se tem parcos recurso é recomendável que solicite um crédito bancário.

Se estiver já endividado corre o risco de o vêr negado.

 - Se o crédito for concedido reverterá o mesmo para pagamento de custas hospitalares uma vez que os seus descontos mensais não têm incidência em qualquer contribuição que pense possuír por parte do estado.

 - Caso não lhe seja atribuído o crédito, então o melhor será mesmo não dar qualquer referência de familiares que possua, pois o seu destino tem 95 pocento de ser encaminhado para o cemitério e, aí como ainda hesistirá a despesa de funeral a mesma seria atribuida à família por conseguinte diga que não tem ninguém.

 - Se está desempregado e foi-lhe atribuído subsídio de desemprego, será melhor que não entre na euforia das novas oportunidades caso queira manter o subsídio.

 

 - Esteja preparado para o acordo ortográfico pois termos como Honestidade,Honra, Verdade, Humildade entre outros tantos, serão banidos do vocabolário por se encontrarem fora de prazo.

 - Se pensa pensa enriquecer depressa e sem transtornos de maior, o melhor mesmo será seguir uma carreira de político pois possui vários incentivos:

 - Não tem hora de entrar ao serviço

 - A entidade patronal não o persegue nem tampouco o obriga a trabalhar.

  - O vencimento e demais regalias são optimos.

 - Mesmo que comece o ano e veja que não foi aumentado, não desespere pois as ajudas de custo foram e à fartasana a única coisa que precisa é tão somente  fazer umas viagensitas e umas almoçaradas de preferência com seia não vá o diabo tece-las e as horas extraordinãrias sempre dão para uma perninha.

 

publicado por mcarvas às 20:30

mais sobre mim

pesquisar

 

Abril 2015

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

posts recentes

comentários recentes

  • Gostei muito desta poesiaLindo,e triste o pobrezi...
  • Lindo, lindo o que aqui li, lembrou-me infância, s...
  • Gostei destas quadras, claro que gostei muito daqu...
  • Adorei.Só hoje dei com o seu espaço, mas vou volta...
  • Olá! Apesar de comentar muito espaçadamente estes ...
  • tenho olhos azuis e sou loiro, a minha namorada te...
  • É bom ter de volta estes preciosos poemas. Fico co...
  • E nas feiras compram votos com canetas e autocolan...
  • Tenho de me penitenciar por ter estado uma semana ...
  • Uma mão cheia de bonitos poemas. Este último, entã...

links

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro