Nacionalidade

23.11.07

A nacionalidade, é um estado de alma!

Não de compra, nem tampouco se adquire.

É nos confiada à nascensa, sendo-nos atribuída

a responsabilidade de a cultivar-mos

no nosso tempo.

 

MC

sinto-me:
publicado por mcarvas às 18:20

Dilema

23.11.07

A lucidêz de um momento
transcende o inócuo tempo perdido
em juízo de ideais de outro tempo.
Um dilema perdido no tempo!...

sinto-me:
publicado por mcarvas às 18:18

mais sobre mim

pesquisar

 

Novembro 2007

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
28
29
30

comentários recentes

  • Gostei muito desta poesiaLindo,e triste o pobrezi...
  • Lindo, lindo o que aqui li, lembrou-me infância, s...
  • Gostei destas quadras, claro que gostei muito daqu...
  • Adorei.Só hoje dei com o seu espaço, mas vou volta...
  • Olá! Apesar de comentar muito espaçadamente estes ...
  • tenho olhos azuis e sou loiro, a minha namorada te...
  • É bom ter de volta estes preciosos poemas. Fico co...
  • E nas feiras compram votos com canetas e autocolan...
  • Tenho de me penitenciar por ter estado uma semana ...
  • Uma mão cheia de bonitos poemas. Este último, entã...

mais comentados

links

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro